SAN PEDRO ATACAMA ATÉ IQUIQUE



SAN PEDRO ATACAMA – IQUIQUE

IQUIQUE - LINDA CIDADE BANHADA PELO PACIFICO
Os efeitos do frio na travessia do Atacama, combinados com altitude e baixíssima umidade no deserto acabou por vitimar com gripe forte uma das esposas, que mesmo com cuidados médicos, repouso e remédios durante os 3 dias, ainda não apresentava condições de seguir viagem de moto, seria arriscado demais. Decidimos que as esposas iriam de carro neste trecho. Viajar em grupo com amigos sempre é bom, pois imprevistos como estes aparecem e quando as esposas são muito amigas e parceiras, fazem muita diferença numa hora destas, pois sem stress algum, lá foram elas de caminhonete 4x4 fazendo a festa.
SAINDO CEDO DA POEIRENTA SAN PEDRO ATACAMA
Na passagem pelo deserto, uma das motos apresentou um problema sério na embreagem, o que precisou levar até a cidade vizinha de Calama para reparo, já que em San Pedro Atacama não existe praticamente apoio algum, além de um posto de gasolina. Problema resolvido no dia anterior, e agora todos prontos para partida. Nos despedimos da esquisita, mas inusitada cidade de San Pedro de Atacama.
Saimos as 10:00 horas com roteiro definido pela Ruta 23 até Calama e a partir daí, a Ruta 5 via deserto num total de 490 km no trecho.

AGUARDANDO A LOCADORA DE CARROS ABRIR PARA PEGAR A PICK UP

SAINDO DE SAN PEDRO EM DIRECAO A CALAMA

A opção de ida pela Ruta 5, e não via litoral tem um problema, pois depois de Calama até Iquique são 400 km, o que para a autonomia das nossas motos, em torno de 350 km ficaria inviável, e não tem posto neste trecho da Ruta 5. Então o abastecimento teria de ser feito na cidadezinha de Maria Elena, que tem um único posto COPEC. Se fizer isto, a distância aumenta em 30 km, já que você passa a entrada da Ruta 5 em 15 km para chegar a Maria Elena, porém, após abastecimento, Iquique estará a 318 km, dentro da autonomia das motos e a viagem pode seguir sem problemas.

POSTO COPEC EM MARIA ELENA - UM POVOADO ISOLADO NO DESERTO
Isto é muito bacana em uma viagem de moto, estes detalhes e imprevistos fazem parte de toda viagem, o que torna muito mais excitante e exige um planejamento um pouco melhor.
A viagem pela Ruta 5 é uma experiência interessante. Deserto total, sem qualquer sinal de vegetação ou animais. O que se ve são muitas minas de cobre do norte do Chile, alhiás, o Chile deve muito ao povo do norte, pois sua exportação de minérios é toda ela produzida nesta região. No trajeto,  caminhões enormes transportando minério, muitas, mas muitas caminhonetes e todas elas da cor, vermelha, que fazem o transporte do pessoal técnico até as minas.

DESERTO SEM QUALQUER SINAL DE VIDA

O que pudemos ver também no trecho, é um Chile mostrando uma matriz energética moderna, atualizada, com campos enormes de energia solar e eólica, aproveitando os ventos e o sol do deserto e gerando energia limpa e renovável.
EM TODO O TRAJETO, USINAS EÓLICAS EM PLENO FUNCIONAMENTO AO LONGO DA RODOVIA
As estradas são um tapete, da vontade de acelerar, porém, muita polícia na estrada, os “Carabineros”, e alerto aos viajantes, no Chile não tem perdão, infringiu a lei, será certamente multado e trazendo certamente transtornos na viagem.
Como estávamos passeando, obedecemos sempre a velocidade da estrada, em sua maioria 110 km por hora par veículos leves. De moto nesta velocidade, da para curtir muito as paisagens além do que, o consumo é muito menor, sem falar na segurança.
Retas intermináveis, temperatura boa para viagem e fomos cortando o deserto de moto, e as esposas na caminhonete logo atrás, fazendo a maior festa.
ESTRADAS SÃO UM CONVITE PARA ACELERAR MAS CUIDADO COM OS CARABINEROS
Neste trecho, existe um oásis muito interessante e bonito, onde vive uma comunidade com cerca de 1.500 pessoas. Casas simples, todos trabalhadores das minas da região. Aproveitamos para conhecer e tomar uma água, já que o calor neste dia era bastante forte, passando por ali, não deixe de entrar para conhecer e entender a importância da água, pois do nada, um fio de agua traz vida, traz verde para aquele lugar esquecido no tempo.

OASIS QUE ENTRAMOS PARA CONHECER


PRATICAMENTE TODA POPULAÇÃO TRABALHA NAS MINAS DE COBRE

Logo após este trecho, existe uma Aduana, já que o Departamento de Iquique é uma zona de livre comércio, tipo zona franca de Manaus, então todos os carros, motos e caminhões tem de parar nesta aduana, apresentar passaporte do condutor e pegar um papel comprovando a entrada. Este papel será exigido depois na saída, onde tem também a Aduana. Sem o papel, certamente terá problemas na frente.
Continuando pela 5, existe uma vila chamada Pozo Almonte, parada de caminhoneiros com vários bares e restaurantes na beira da estrada, resolvemos parar para tomar um lanche, já que o dia havia rendido bem, e estávamos com tempo livre.
Nesta parada, um dos amigos não conseguiu achar a carteira onde estavam documentos pessoais, cartões de crédito, carta de motorista e o papel de entrada dele no Chile, ou seja, perda total.
Muito stress na procura e no que fazer, pois a suspeita era que a carteira havia ficado na Aduana lá atrás ou mesmo caído na estrada, e a distância impedia que retornássemos até a Aduana,  já que não teríamos combustível suficiente (lembra que não tem posto algum neste trecho).
Procura aqui, procura ali, e quando já havíamos decidido tocar em frente até Iquique e resolver o que fazer, resolvi deitar ao lado da moto e olhar por baixo. Bingooooo !!!, Eis que o documento havia caído do bolso da jaqueta, entrado entre o escape e a carenagem da moto, e com o calor do escape, o plástico havia grudado no escapamento. Coisa de doido, mas estava tudo ali, cartões de crédito, carteira de motorista, tudo direitinho. Pura sorte e seguimos viagem mais aliviados.

POZO ALMONTE E OS DOCUMENTOS PERDIDOS

Logo após Pozo Almonte, existe uma cidade fantasma chamada Humberstone, muito interessante. A cidade foi mantida igualzinha era no século passado, quando a exploração de sal na região era feita por mineiros da região que ali viviam. Muito conservado o local, paramos para visitar.

VILA HUMBERSTONE - CIDADE FANTASMA PRESERVADA

Em seguida seguimos para Iquique onde chegamos com o sol refletindo sobre o Pacifico, tendo a silhueta da cidade á frente.

AS 18:41 CHEGANDO EM IQUIQUE COM O SOL REFLETIDO NO PACIFICO

Embora um susto com a perda temporária dos documentos, o dia foi maravilhoso, tocada boa e chegamos todos bem ao hotel Gavina Center, que de quebra tem seus quartos voltados para o Pacifico com lindíssima vista do mar, com tempo de um happy hour no excelente bar do hotel.

OTIMO HOTEL GAVINA SENS COM SEU RESTAURANTE VOLTADO PARA O MAR

Ficamos 2 dias em Iquique, curtindo a cidade, seus ótimos restaurantes e claro, fomos passear no enorme “free shopping” onde se encontra de tudo, mas de moto, não deu para comprar muita coisa não.

Iquique, Chile
Maio de 2019
S.Pires

Comentários