TIRADENTES DE MOTO

ENTRE MONTANHAS, DOCES E CACHAÇAS MINEIRAS


Visitar Minas é literalmente fazer uma viagem de volta no tempo e poder sentir e curtir sensações já há muito tempo esquecidas no corrido dia a dia em que passamos a viver.
E o projeto era exatamente este, uma imersão em coisas do passado, coisinhas pequenas que alguns sequer se lembram como eram.... e como era bom aquele tempo em que podíamos sentar e conversar, ouvir e aprender.
Partimos em 2 grupos, um de Santa Catarina com 8 motos (2 BM1600, 3 GW e 3 HD Ultra), e o outro grupo com 2 HD Ultras sairiam de Campo Grande, com encontro marcado na Pousada Villa Allegra em Tiradentes MG (recomendo a pousada, muito bacana).















Passeio de 4 dias, sendo 2 dias inteiros na cidade onde havíamos contratado um receptivo com transporte (UAI Tur ), além de já termos pré reservados todos os restaurantes. Em um grupo grande não se pode chegar na cidade para decidir onde ir, pois certamente  o grupo se quebra.
Procuramos preservar muito em nossas viagens este espírito de grupo, oportunidade que temos para conversar e nos divertir.
Ao todo, 10 casais com objetivo de conhecer o que há de melhor em Tiradentes, sejam suas histórias, sejam seus restaurantes, sejam suas cachaças, mas tudo com calma e sem exageros.
Definido o projeto, reservas feitas, o grupo de Blumenau partiu na 4a. feira 14:00 horas, com destino a Registro-SP com 424 km pela frente para pernoite. Hotéis em Registro somente para uma noite e olha lá.
Mas foi divertido.
Dia seguinte, saída cedo com prumo a S.Paulo,
pegando a Fernão Dias até Lavras, onde dobra-se a direita já no sentido de Tiradentes. Ao todo neste trecho são 676 km de excelente asfalto de pista dupla até Lavras, onde pega-se a MG 265 com pista simples, mas asfalto muito bom. Na chegada o pessoal de Campo Grande já estava na pousada.
Tiradentes tem excelentes opções de restaurantes de primeiríssima linha,  visto que muitos chefs do RJ ou SP para lá se mudaram oferecendo excelentes opções. Na primeira noite jantamos no Pacco & Bacco com excelente cozinha mediterrânea e serviu de abre alas para o que estaria por vir.
No dia seguinte, havíamos contratado, como já dissemos, um guia para nos mostrar um pouco de tudo. Conhecer os pontos principais da cidade, mas também sair um pouco para ao arredores, aqueles vilas esquecidas no tempo.















































Tiradentes tem uma história fantástica, e parece uma cidade encapsulada no tempo. Nada mudou no seu estilo colonial muito bem preservado, suas ruas de pedra, e de uma certa forma, na sua rotina preguiçosa, que percebe-se logo ao andar pela cidade.
Neste dia, após conhecer a história da imponente Igreja Matriz de Santo Antônio com sua incrível história desde a construção até os dias atuais, seguimos para visitar a mais antiga cachaçaria em atividade no Brasil, a Século XVII, que pertenceu a família de Tiradentes e é hoje administrada por descendentes que estão na 8a. geração.


Incrível o que pudemos ver. Desde a história contada debaixo de galpões centenários enquanto degustávamos uma deliciosa cachaça feita ali mesmo pelos donos que receberam o grupo.














Um almoço em um grotão bem longe da cidade depois de andarmos um bom tempo pela Estrada Real, que por ali tem passagem também.
Na volta, parada obrigatória nas vilas vizinhas a Tiradentes para conhecer fabricas de doces dos mais variados tipos, onde se pode degustar direto dos tachões de cobre espalhados por diversas casas.
O Mineiro é muito receptivo e sabe como agradar o visitante...
A noite, o ponto alto da viagem com um jantar delicioso preparado pela Chef Nancy em seu restaurante Santíssima Gula que foi fechado somente para o nosso grupo. O Santíssima Gula é sem dúvida um dos melhores da cidade.















No sábado, dia lindo de sol, manha livre para dai sim andarmos pela cidade com direito a um almoço espetacular no UAITai Bistrô, onde o chef Ricardo Martins deu um verdadeiro show. Restaurante de 18 lugares apenas mas que vale muito a pena conhecer.
As comprinhas de artesanato locais podem ser feitas e depois despachadas para a cidade destino.
No jantar de encerramento reservamos no Traga Luz. Espetáculo!!
Partimos cedo no domingo,  onde o grupo de Campo Grande faria o pernoite em Presidente Prudente (939 km) , e o de Blumenau dividimos em 2 grupos, sendo que o primeiro com planos de tocar direto (1200 km) e o segundo grupo com pouso programado para Curitiba (890 km).
Como o percurso rendeu bem, o segundo grupo acabou tocando direto também, embora depois avaliamos que deveríamos ter seguido o plano original, já que na serra de Curitiba pegamos uma chuva e bastante neblina e isto já anoitecendo.
Mas chegamos todos bem depois de uma viagem espetacular e termos conhecido um pouco mais deste maravilhoso Brasil, e em especial, um pouco de Minas, sem dúvida um estado diferenciado, pela sua gente, sua gastronomia e tradição.


Na foto acima, momento muito especial: "Dia amanhecendo, céu azul, temperatura excelente, moto na estrada, e no asfalto, a sombra projetada de piloto e garupa".
Há coisa melhor do que isto?

Por hoje é isto!!
S.Pires
Tiradentes MG - Agosto de 2016.

Comentários