QUANDO EU PASSAR EM FRENTE AO TEATRO












Querida filha Lais, este post é para você......

Hoje foi o ultimo espetáculo que assistimos dela, e pudemos aplaudi-la de pé pela ultima vez, e a aplaudimos como nunca.
Quase menina moça, se destacava entre as outras e podíamos sentir desde o palco, a sua vibração nesta sua ultima apresentação.
E lembrar de quando pequena, sempre exigente consigo mesma, não se permitia errar, cuidava de todas, cuidava dos ritmos, queria a perfeição do grupo.

Treinos e mais treinos, horas e mais horas na busca constante pela perfeição dos movimentos, que sempre vinha.
Que gostoso que era, ao final de cada noite ir buscá-la e ganhar um beijo gostoso no rosto quando ela entrava no carro, e ouvir aquele : Oi pai, tudo bem?. Com foi o seu dia ?
Por mais difícil que tivesse sido meu dia, a resposta a tão adorável pergunta era:
- Oi filha, meu dia foi ótimo. E como foi o seu treino?
E ela: - Não é treino pai, é ensaio.......

Sempre pra cima, não me esquecerei jamais da sua agitação e do suor que carregava no corpo pelo treino duro que acabara minutos antes e nunca me esquecerei da sua paixão pelo sapateado.
Nunca me esquecerei também o dia em que fui buscá-la de moto. Ela, chorando que estava, seguramente por algo que não dera certo, me disse que naquele dia, o melhor que havia acontecido a ela foi eu tê-la buscado de moto, e com o vento no rosto, foi acalmando o seu coração.
Ao final de cada ano, vinham os espetáculos, sempre 3 dias de pura emoção.

A sessão de maquiagem, a tensão momentos antes, o barulho dos camarins, o teatro cheio, crianças, muitas crianças, pais, avós, tios, enfim, todos marcavam presença e vinham ver o resultado de mais um ano de intensa dedicação.

Como esquecer a entrega dos buquês que sempre fazíamos ao início de cada primeiro dia de apresentação, e como nos esqueceremos dela, que ao final do show, vinha caminhando em nossa direção sorridente, carregando seu buquê de flores e feliz da vida, satisfeita pelo resultado apresentado.
E a cada ano, fomos notando a evolução que vinha de seus pés, de seus movimentos, de seu prazer em dançar.
Hoje, ao dar o ultimo passo, ao fazer o ultimo movimento, o ultimo som que veio daquele palco, não contive minhas lágrimas, lágrimas de pura emoção.
A imagem do palco se fechando marcou como nunca este período maravilhoso em que vi minha filha dançar no Teatro Carlos Gomes, aqui em nossa cidade.

Que a dança que encantou a todos nós possa significar para você minha filha, muito mais do que espetáculos, que possa significar a você que somente com muito suor e determinação, se alcançam as verdadeiras vitórias e que estas estão acima de enganações e trapaças.
Você já é uma vencedora, e pode dar exemplo a tanta gente que nada quer da vida, que não valoriza o esforço e que não sabe o quanto difícil é atingir a perfeição.

A mim, só me resta agora passar em frente a aquele teatro e lembrar com muitas saudades e poder dizer :
- Um dia, minha filha aqui dançou, e dançou como nunca !
E eu, tive a felicidade de poder aplaudi-la por 10 anos seguidos, sem nunca ter pensado que um dia, seu sapato iria silenciar......e hoje ele silenciou.....
Que a dança da vida possa um dia te levar de volta ao palco e que eu possa estar novamente lá para te aplaudir.
E vou aplaudir como nunca !

Papai
Natal de 2007.

Comentários