DE BLUMENAU A SAO PAULO COM NOSSO JEEP 72















A ideia de ir de Blumenau a S.Paulo surgiu logo após o termino da restauração do Jeep 1972 que havia comprado de presente ao meu filho Arthur.

Seriam necessários alguns preparativos, e como gostamos de desafios e aventuras, sem dúvida seria uma delas.
Blumenau tem muitos Jeeps clubes e por conseguinte, muitos Jeeps. Mas na grande maioria, veículos de trilha, já que por aqui muitos locais e encontros acontecem nos finais de semana e a região oferece muitas trilhas e campeonatos, além é claro, do encontro dos amigos que gostam da aventura off road de verdade (não aquela com ar condicionado se é que me entendem).

Brusque, logo aqui perto de Blumenau sedia a maior feira do setor no Brasil, todo mês de Maio, centenas de fornecedores de peças e acessórios se reúnem em um enorme espaço para comercializar de tudo o que se refere a Jeep e 4 rodas.
Bem, mas voltando ao nosso projeto, chegava o Natal de 2010, e colocamos na cabeça que eu e Arthur iriamos de Jeep até Itu, interior de SP, retornando logo após as festividades natalinas.

Primeiro passo, já executado, seria garantir uma boa mecânica no nosso Jeep. De fato, ele estava praticamente novo, com tudo o que fizemos durante a restauração.
Motor revisado, pneus, parte elétrica, tudo certo.

O difícil mesmo foi conseguir que o meu corretor de seguros conseguisse uma seguradora que aceitasse fazer o seguro do Jeep.
- Voce esta louco Sergio, como vai a S.Paulo num treco deste?
- Não vai ser fácil conseguir um seguro, mas vou tentar.
Graças ao Simão, meu corretor de longa data, a apólice de seguro completo, incluindo 3º.s estava em mãos.
















GPS em mãos, tanque cheio, dia lindo de sol, saímos de Blumenau as 07:00 horas, curtindo muito o caminho até Joinville onde abastecemos a primeira vez. Subimos a serra de Curitiba, temperatura fantástica, curtindo as belas paisagens que esta serra oferece (uma das mais lindas do Brasil sem duvida alguma).
Outro abastecimento no anel viário, e seguimos pela BR 116.

O primeiro problema ocorreu a uns 20 km de Curitiba, quando um forte barulho no interior do capô anunciava que a viagem havia terminado. Paramos e ao verificar nada de grave. Apenas o pequeno tanque reserva de gasolina para partida no frio havia se soltado e a hélice do motor, digamos, "comeu" ele todo. Retiramos as mangueiras, e pé na estrada.
 
Ao chegar em Registro, já no estado de SP, novo abastecimento e almoço. Ao sairmos do restaurante, um senhor de meia idade nos aguardava ao lado do Jeep, dizendo que havia gostado e queria compra-lo.
- Botem o preço que fechamos negócio agora e já mando levar até minha fazenda.
Enfim, depois de explicar e mostrar tudo o que fizemos no Jeep, ele entendeu que não estava a venda, e que ainda tínhamos 250 km pela frente.

Partimos, subimos a serra do cafezal, talvez a estrada mais perigosa que temos no Sul, ruim demais.
Na verdade, era minha grande preocupação, já que a serra é pista única, e um defeito ali na subida, seria um stress muito grande dado ao movimento intenso de caminhões.

Mas subimos muito bem.
Já na Castelo Branco, prumo do interior de SP, curtimos muito as excelentes estradas e a velocidade média subiu para incríveis 70.3 km/hora.!!!
 
Ora ou outra, um carro o caminhão nos passava e tiravam fotos ou mesmo acenavam.
- Devem ter pensado que éramos uns loucos...
Após 10 horas e 637 km rodados, chegamos a Itu.
Foi uma festa!!
A volta, depois de uma semana não foi tão tranquila assim.Resolvemos descer pela serra do mar, passando por Piedade e saindo em Juquiá. A estrada é as faltada, porem, muitas curvas.
Corta a mata atlântica, lindíssima a vista.
Quem não conhece o caminho, recomendo muito.
Mas tem muita curva.

Chovia muito, além de forte neblina.
No meio da serra, o cano do escapamento se soltou bem próximo ao motor.
Imagina um barulho.....













Tocamos até Juquiá e em uma oficina, após esperar mais de 1 hora o motor esfriar e o reparo foi feito com sucesso.
Caminho de volta muito bacana, mais confiantes, rodamos felizes.
A chegada em Blumenau, igualmente no final da tarde, sentimento de felicidade por esta aventura realizada.

De certeza, sabemos que existem muitos Jeeps em Blumenau. Mas achar um que foi a S.Paulo e voltou nos últimos 10 anos, acho que já é mais difícil.
Ah, e não utilizamos a carta do seguro....

Valeu Arthur pela companhia.
Esta aventura é daquelas que ficará guardada para sempre.!!!

Por hoje é isto.

S.Pires
Blumenau 2010

Comentários