ENTRE CORDILHEIRAS E VINHEDOS

VIAGEM DE MOTOCICLETA PARA A ARGENTINA
















A Confraria Do Fin do Mundo nasceu há  6 anos, mas nem sempre viajamos juntos.
Neste meio tempo, vários dos confrades realizaram viagens solo, ou mesmo em duplas, e já cortaram muitos km de estradas sejam elas aqui na América e em outros continentes. Seria impossível que todos estejam juntos nas mesmas viagens sempre.
Sentíamos que era chegada a hora de tentar reunir novamente o maior número possível dos componentes para outra grande aventura. Neste tempo, alguns novos se juntaram ao grupo, uns com Harley, e a outros com Gold Wing.
Então para não haver briga, a Confraria do Fin del Mundo criou o “H&GB – Harley and Gold Boys” e estaríamos todos juntos nesta aventura com destino aos vinhedos de Mendoza com direito a um pulinho até Santiago. Aqui um breve resumo de uma viagem espetacular, alta gastronomia, ótimos vinhos e paisagens estonteantes da Cordilheira dos Andes.












Projeto de 18 dias, considerado apertado, mas era o tempo disponível para a maioria do grupo. Ao todo, 8 motos, 8 casais e um planejamento para aproveitar o melhor possível.
Saímos em 2 grupos. Um de Blumenau com 6 motos com destino a Eldorado na Argentina, e outro de Campo Grande com 2 motos. O encontro faríamos em Reconquista.
O grupo de Blumenau fizemos a aduana em Bernardo Irigoyen, seguimos até Eldorado que fica 100 km a frente. No total 769 km rodados para o primeiro dia. Pousada Helvétia (recomendo). A próxima perna fizemos 754 km até Reconquista onde chegamos no final da tarde e os dois amigos de Campo Grande já nos esperavam na calçada do hotel. Grupo completo !!












Dia seguinte, mais 715 km até Villa Carlos Paz, hotel bacana, linda vista para o lago ali existente.
O próximo trecho, andaríamos pela Ruta Altas Cumbres, belíssima que liga Villa Carlos Paz até Mendoza num total de 579 km. Esta estrada vale a pena ser curtida de moto. Chegamos em Mendoza direto para o Hyatt Hotel, onde as esposas que foram de avião já estavam no hall de entrada com champanhe e tudo a nos aguardar.

Mendoza é lindíssima e havíamos contratado um agente que nos guiaria nos próximos 3 dias para os melhores resorts entre os vinhedos, numa mistura de alta gastronomia, vinhos e vinhedos.












Fantástico ter conhecido a história de todos aqueles que visitamos (são muitos), conhecido um pouco da cultura local, e um pouco de como um deserto sem vida se tornou uma das regiões mais produtivas de vinho e de outras frutas do mundo, com altíssima qualidade. Ao final, todos saímos entendendo um pouco mais de vinhos e admirando do que o ser humano é capaz de transformar.























Saímos de Mendoza cedo para Santiago pelo passo Cristo Rey. Maravilhosa estrada, lindas vistas das cordilheiras.
São apenas 400 km mas sabemos que nas aduanas sempre se perde um pouco de tempo, mas de resto, é uma viagem que vale muito a pena. Descer os Caracoles de moto é algo que impressiona não só pela grandeza da obra, mas pelas paisagens belíssimas da cordilheira.
Exploramos o que há de mais interessante em 2 dias em Santiago, cidade que surpreende em todos os aspectos, com direito a uma vinícula é claro. Afinal o grupo já estava acostumado com vinhos todo dia.












A volta fizemos tranquilo até Mendoza, onde as esposas tomaram o avião rumo ao Brasil.
É muito bom viajar com a esposa junto. A viagem fica mais alegre, elas vão conversando entre si e como é bom ter alguém na garupa onde você pode compartilhar com ela as paisagens, as vistas e a conversa pelo radio transforma a viagem. Sentimos todos que dali até em casa a viagem não seria a mesma.












Dia seguinte, resolvemos encarar 1052 km até Buenos Aires, tocada longa, mas pilotar uma moto nas estradas argentinas é outra história. A viagem rende muito, pela qualidade do asfalto, pouco movimento, quase sempre em linha reta. Isto sem falar na qualidade da gasolina que alimenta nossos cavalos.
A próxima etapa, atravessamos o Rio da Prata num ferry que saiu cedinho de Buenos Aires e tocamos até Pelotas para o pernoite.
Chegamos em casa trazendo na bagagem muitas lembranças de lugares maravilhosos, vinhos espetaculares, ótima gastronomia e a certeza de que este grupo H&GB ainda vai longe.
É isto por agora.

S.Pires
Mendoza 2015.

Comentários

  1. Grande Sergio Pires.
    Nosso querido escriba!
    Parabéns por ter relatado, magnificamente, nossa linda viagem.
    Forte abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário